My Red Witch

 

Seu cabelo é vermelho
Tão vermelho quanto o sangue que jorra do meu peito agora
Tão hipnotizante quanto medusa
Faz-me perder
E me torna pedra

Esta pedra inerte trinca os dentes
Enquanto a observa dançar
Em meio a gritos de um ritual pagão

Ela é bruxa histérica
Que sorri e me enfeitiça
Seus lábios, agora roxos chamam meu nome
Enquanto entoa cantos que amaldiçoam minha alma ao inferno

E
Ahhhhh
Como satisfeito iria eu ao inferno
Até mesmo voltaria
Para provar de seus lábios novamente

Esta bruxa maldita arranha a pedra que sou
Arranca sangue de minha pele com suas unhas de navalha
Grita e geme
Colada a mim como se fosse um só
Enquanto continua a dançar seu ritual de oferenda ao deus-demônio

A oferenda sou eu
Que perdido, louco alucinado
Deixo-me ser retalhado
Por seus desejos
Por tua sede e fome
De minha carne e sangue

A pedra-eu não mais presa
Mas de mente dominada
Faz com que sua bruxa amada
Seja satisfeita

Queimo em vida ao lhe tocar
O fogo de suas madeixas é transmitido a minha pele
Pele que lhe contrasta
Negro em alvo
Alva como linho
Como se fosse pura a minha bruxa

Onde toco, lhe fica marcado
Mas não se importa
Talvez não sinta dor
Mesmo que lhe deixe tatuada
Com minha pele marcada
Na sua
Para todo o sempre

Ela sorri e grita
Seu corpo no meu é uno
Somos Yin-Yang
Onde não há “bem” de verdade
Somos duas facetas da mesma moeda
Uma
Que jamais teve real valor

Também sorrio
Um sorriso de quem sabe o que lhe vem
A morte
Nas mãos de minha bruxa

Porém um sorriso vivo
De quem não se importa mais com o destino
Pois ela é minha uma vez
É minha Fehlurian
À qual não sobreviverei

Sinto todo seu corpo agora, calmo, ainda uno ao meu
Já não vejo
Mas sinto seu sorriso
Alvo como sua pele
Sorriso bêbado de euforia
De sua boca de lábios grossos, carne em luxúria
Que com um beijo sem nenhum arrependimento, se afasta de mim
E quanto mais se afasta, mais se esvai minha vida

Abro os olhos
Minha deusa-bruxa rubra está em pé, diante de mim
Fui mais uma vítima
Alucinações que ela, por gosto, me fez experimentar
Sem nem ao menos saber que lhe daria minha vida sem pensar
Bastava pedir
Ou sabendo
Somente me permitindo sonhar com ela ao menos uma vez

Meu peito está aberto
De minha coronária ferida flui os últimos resquícios de meu sangue
Sangue
Que esta noite
Não pode ser diferenciado de seus cabelos

Meu coração pulsa em suas mãos
E assim ela manter-se-á viva por mais um milênio
Através de mim
Aceito
Pois o mundo se acaba para mim
Mas seu roxo manchado denuncia
Seu beijo
Ao menos este
Foi real

Anúncios

3 Comments

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s